Star Wars - Ecos da Antiga Era

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Blodtørstige Warg em Qui Nov 12, 2015 5:20 pm



(Não se esqueçam de colocar a resolução em 480p antes de assistir. Grato.)

Lawrence Weiser (Akira)

Mos Eisley, Tatooine (5 DBY, Orla Exterior)


O espaçoporto de Tatooine estava como sempre fora: um caos. O império estava ocupado demais com a guerra para se preocupar com contrabandistas e ladrões, o que de certa forma fazia de Mos Eisley um lugar seguro, embora isso soasse como uma piada ou um paradoxo para qualquer um acostumado a frequentar o local.

Havia um motivo especial para Lawrence estar lá. Ele não estava atrás de mercadoria ilegal, ele estava atrás de sua irmã desaparecida. Mos Eisley era famosa por ser um antro de fofocas, especialmente sua cantina. A dedução do jovem vigarista era que provavelmente sua irmã havia se voltado contra o império, como forma de vingança, então provavelmente ela havia se juntado a aliança rebelde. Tatooine, por motivos óbvios, nunca fora um planeta que morre de amores pelo império galático.

No entanto, Lawrence sabe que tem de ser cauteloso. O local é dominado pelos hutts, os mais famosos e mais perigosos gangsters. Em cada canto se encontra escória do pior tipo, e ele não possui nenhum contato, influência e nem nada que o ajude a passar por lá de forma agradável.

Caminhando pelo local, ele percebe que uma dupla de homens sujos e armados com pistolas conversam alto e de forma despreocupada próximo a ele. O local não é exatamente calmo e silencioso, mas mesmo assim Lawrence consegue captar um pouco da conversa conforme os homens passam.

-- Você viu? Ela fez os imperiais de idiotas de novo. Aquela garota tem o dom, é o que eu digo.

-- Se tem! O Jabba deve estar saltitando de alegria nesse momento. Ele definitivamente acertou na escolha agora. Ela é uma das melhores contrabandistas que eu já vi. Claro, que uma nave daquelas também ajuda, não é?

-- É verdade. Se eu fosse capitão da Fortuna Perversa, dobraria meus lucros em questão de semanas.


Off: A presença de stormtroopers no momento é pequena, porém é aconselhável não levantar suspeitas.
avatar
Blodtørstige Warg

Mensagens : 171
Data de inscrição : 06/09/2014
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Akira Toriyama em Sex Nov 13, 2015 2:21 am

Lawrence desceu da nave que lhe servira de transporte, jogando a bolsa por cima do ombro enquanto saía dali, olhando para os lados de maneira desconfiada. Fazia meses que não parava num mesmo lugar, sempre vagando por aí em busca de pistas e oportunidades para permanecer incógnito. Ele sabia que talvez Elise estivesse entre aquela gente de Tatooine, lugar onde a lei não era tão rígida e onde o Império não tinha tanto poder. A visão de qualquer stormtrooper lhe lembrava o pai e o rapaz odiava lembrar do pai e do que ele fizera.

Respirou fundo, pensando nas opções de trabalho. Ele não era exatamente apegado ao trabalho em si. Na verdade, tinha uma opinião bastante controversa a respeito disso - para ele, o trabalho era algo enfadonho, quase inútil. Ainda que tivesse passado os últimos tempos na rua, Lawrence viera do topo da sociedade, onde o trabalho era uma coisa distante, que acontecia do outro lado da galáxia, mas não com ele. De certa forma, o rapaz não mudara a respeito disso. Era alguém bem educado e ensinado nas maneiras da alta sociedade. Sabia conversar sobre os assuntos certos, usar as palavras certas na hora certa e para as pessoas certas. Não era tão difícil usar isso para ganhar dinheiro. Mesmo assim, Lawrence não gostava de se lembrar da breve e desagradável experiência que tivera num jornal, usando cada habilidade sua para descobrir segredos sórdidos das grandes celebridades de holovídeo. Preferia não pensar nisso.

Nem tudo foi tão ruim. Com aquele trabalho fútil e tedioso, Lawrence conseguira crédito suficiente para viajar até Tatooine, onde poderia descobrir mais informações sobre o paradeiro de sua irmã. Talvez ela fizesse parte da Rebelião, e em algum ponto, o rapaz pensara que era quase óbvio que ela fosse se unir aos rebeldes. Pelo menos, era o que faria no lugar dela.

Enquanto andava pelo aeroporto, percebeu dois homens sujos e armados conversando sem muito cuidado. Tomado por um interesse repentino, Lawrence se escondeu perto de uma parede que havia ali perto e aguçou a audição para poder ouvir o que diziam.

-- Você viu? Ela fez os imperiais de idiotas de novo. Aquela garota tem o dom, é o que eu digo.
-- Se tem! O Jabba deve estar saltitando de alegria nesse momento. Ele definitivamente acertou na escolha agora. Ela é uma das melhores contrabandistas que eu já vi. Claro, que uma nave daquelas também ajuda, não é?
-- É verdade. Se eu fosse capitão da Fortuna Perversa, dobraria meus lucros em questão de semanas.

A conversa aumentou seu interesse no assunto. Não poderia deixar aquela informação passar sem fazer nada. A garota a qual os homens se referiam poderia muito bem não ser Elise, mas ele só pararia depois de confirmar. Depois de chegar ali, a única coisa que lhe restava era tentar.

Caminhou para a lanchonete mais próxima dali. Depois de escolher uma mesa mais afastada, esperou que algum atendente viesse pegar seu pedido. Quando o funcionário chegou, pediu uma bebida e uma refeição comum.

- Também tenho algumas perguntas, e posso te dar uns créditos se você estiver disposto a ser discreto a respeito delas. Não se preocupe, não é nada comprometedor. - falou, e mostrou seu chip de créditos. Não estava nadando em dinheiro, mas se quisesse descobrir alguma coisa, teria que gastar um pouco. Ele só esperava que não tivesse que gastar mais do que tinha.

OFF:
Teste de Persuasão para convencer o funcionário a me dar as informações.

Caso o teste seja bem sucedido:
Lawrence sorriu discretamente. Tirou de dentro do casaco a foto de Elise que carregava. Fora tirada pouco antes de ela ter sumido, há seis anos.

- Estou procurando desta garota. Ela deve ter uns vinte e tantos anos agora, mas não deve ter mudado muito. O nome dela é Elise Harthrow. Você a viu em algum lugar por aqui?
avatar
Akira Toriyama
Avaliador de Ficha

Mensagens : 488
Data de inscrição : 25/03/2010
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Blodtørstige Warg em Qui Nov 19, 2015 11:42 am

Lawrence Weiser (Akira)

Cantina de Mos Eisley, Tatooine



Spoiler:
- 200c.

Teste de persuasão desnecessário. Sucesso automático.

O lugar tinha pouca iluminação e havia grupos de pessoas amontoadas em cada mesa, em cada canto e principalmente no balcão. Era possível ver rodianos, humanos, twi’leaks e outras espécies conversando juntas ou jogando. Aqueles que conversavam faziam de forma baixa e discreta, como se constantemente tramassem algo. Muitos ali ostentavam uniformes típicos de pilotos ou vestes simples de aventureiros e civis, no entanto se comportavam como ladrões -- sequer se importavam em deixar seus blasters expostos.

Lawrence aguardou um momento, prestando atenção na música que a banda no fundo tocava animadamente, enquanto um atendente com cara de poucos amigos se aproximou da mesa para anotar o pedido em um datapad padrão. O vigarista pediu uma bebida, mas assim que o atendente se virou, ele o segurou pelo braço.


- Também tenho algumas perguntas, e posso te dar uns créditos se você estiver disposto a ser discreto a respeito delas. Não se preocupe, não é nada comprometedor. - falou, e mostrou seu chip de créditos. Não estava nadando em dinheiro, mas se quisesse descobrir alguma coisa, teria que gastar um pouco. Ele só esperava que não tivesse que gastar mais do que tinha.

O funcionário sorriu de um jeito malicioso, deixando evidente que não se importava em tirar um dinheiro extra, independente de como fosse.

—Vou buscar sua bebida, e então conversamos.

O atendente, um Twi’ Leak gordo de aparência meio suja, volta então com uma bandeja com uma bebida fumegante em um copo longo. Ele rapidamente pega o próprio chip de crédito para verificar a transferência. Quando Lawrence passa a ele duzentos créditos, ele faz uma expressão de satisfação e então se senta ao lado do vigarista.

—Sejamos rápidos. Eu tenho muitas mesas para atender.

- Estou procurando desta garota. Ela deve ter uns vinte e tantos anos agora, mas não deve ter mudado muito. O nome dela é Elise Harthrow. Você a viu em algum lugar por aqui?

O atendente olha para a foto da garota e fica por um momento fazendo uma série de caretas, como se estivesse se esforçando muito para puxar algo da memória. Depois de algum tempo, ele finalmente fala.

—Não me recordo desse rosto. Eu tenho certeza de que essa humana nunca apareceu aqui. No entanto, muitos de sua espécie estão fazendo alarde por causa de uma contrabandista nova com uma nave incrível, que está trabalhando para o Hutt conhecido como Jabba. Pode ser ela, no entanto essa contrabandista está sempre com uma máscara. Ela nunca mostra o rosto, então não posso dar nenhuma certeza. Se quiser arriscar, pode ir até o palácio do Jabba falar com ele, porém eu não recomendo... Ele não é conhecido por ser bonzinho e piedoso. Tem um temperamento horrível, como todos os Hutts.

O funcionário do balcão então começou a gritar alguma coisa em uma língua estranha para o atendente. Ele fez um sinal com a mão e voltou a trabalhar antes que fosse repreendido por vadiagem. Lawrence notou que o homem no balcão olhava constantemente para ele com uma expressão nada amistosa. O vigarista então tomou rapidamente sua bebida e resolveu sair de lá antes que algo desagradável acontecesse, mas na pressa esbarrou bruscamente em uma dupla de stormtroopers, do lado de fora da cantina.



—Ei! Alto ai! Quem é você? Eu não lembro de você. O que faz aqui?

Off: Você está sendo abordado. Cuidado com o que diz.
avatar
Blodtørstige Warg

Mensagens : 171
Data de inscrição : 06/09/2014
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Akira Toriyama em Qua Nov 25, 2015 12:14 am

Lawrence pensou enquanto terminava o prato que pediu. Elise estava em algum canto da galáxia, mas as coisas não estavam ajudando. Havia uma contrabandista em Tatooine que estava dando dor de cabeça demais para as tropas do Império e que andava por aí vestindo um capacete que escondia sua identidade. Por mais absurda que pudesse parecer a história, ele não podia deixar a possibilidade ir embora sem nem tentar. Se tinha uma coisa que seu trabalho como jornalista lhe ensinara era que não se podia desperdiçar nenhuma oportunidade para descobrir mais coisas.

A conversa com o atendente tinha atraído a atenção indesejada do balconista. Depois de terminar a refeição, saiu o mais rápido que pôde para procurar um lugar onde pudesse passar a noite e pensar melhor no que faria. Provavelmente procuraria um trabalho onde pudesse ficar perto dos acontecimentos interessantes daquele planeta e ganhar alguns créditos. Em qualquer lugar, havia gente querendo alguém com língua afiada e pensamento rápido. Além disso, seu sobrenome muitas vezes o ajudava a abrir portas mais facilmente, embora Lawrence detestasse revelar aos outros que era filho do almirante Weisel. Os pais, perdidos em sua rotina fútil, pensavam que o filho estavam apenas viajando por aí e curtindo os anos de juventude. O que eles não sabiam era que ele estava procurando Elise.

Estava saindo da cantina quando tropeçou em dois stormtroopers que estavam do lado de fora. Os soldados olharam para ele por trás do capacete e ordenaram que ele parasse e dissesse quem era. O vigarista já tinha passado por situações daquele tipo e sabia que tinha meios para sair daquela.

- Ei! Alto lá! Quem é você? Eu não me lembro de você.

- Bom dia, senhores- disse o rapaz, de maneira descontraída. - Meu nome é Lawrence Weisel. Sou um viajante recém-chegado ao planeta.
avatar
Akira Toriyama
Avaliador de Ficha

Mensagens : 488
Data de inscrição : 25/03/2010
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Blodtørstige Warg em Qui Nov 26, 2015 12:19 pm

- Bom dia, senhores- disse o rapaz, de maneira descontraída. - Meu nome é Lawrence Weisel. Sou um viajante recém-chegado ao planeta.

Weisel... Ah, Weisel! Bom-dia, senhor! É um prazer ter o filho do almirante aqui! Perdoe-nos. É comportamento padrão questionar os recém-chegados. Não vai acontecer de novo. Tenha um bom dia!

rolagem:
Lawrence testa percepção, CD 18, para detectar algo suspeito e tira: 22 (16+6), resultando em [Sucesso].


Os stormtroopers logo saíram de perto, intimidados pela força do sobrenome de Lawrence, deixando claro de que eles não iriam incomodá-lo mais. No entanto, os stormtroopers falaram tão alto que o vigarista logo notou que as atenções se voltavam para ele. Ele notou que ao fundo uma figura encapuzada (off: figura 1) e um rodiano vestindo uma roupa de piloto (off: figura 2) começaram a olhar fixamente para ele, embora o rodiano não tenha percebido a figura encapuzada.



Figura 1



Figura 2

Lawrence notava como Mos Eisley não era um local agradável em muitos sentidos. Ele decidiu sair logo de lá pois a última coisa que queria era chamar a atenção. Embora a figura encapuzada tenha desaparecido conforme ele andava, o rodiano não deixava de segui-lô para onde quer que ele fosse. Ele começou a andar entre as construções na tentativa de despistar o seu perseguidor, porém sua pouca experiência com o local só fez essa manobra piorar as coisas. Quando se afastou para uma parte mais deserta, ele foi abordado por um grupo que apontava pistolas blasters para ele (off: figura 3). O rodiano que o perseguia logo o alcançou e também apontou sua pistola para Lawrence.

-- Weisel, não é? Jaba vai querer ter uma palavrinha com você. Seja um bom menino, fale tudo o que perguntarmos e nada de mal vai te acontecer, filho do almirante.



Figura 3

O grupo imediatamente trouxe dois speeders e o rodiano fez sinal com a cabeça para que Lawrence embarcasse em um deles.
avatar
Blodtørstige Warg

Mensagens : 171
Data de inscrição : 06/09/2014
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Akira Toriyama em Qui Nov 26, 2015 1:49 pm

Por um segundo, Lawrence chegou a pensar que tudo estava certo e que a força de seu sobrenome faria mais milagre que a Força dos Jedi. Mas ele estava enganado. Redondamente enganado. Minutos depois de passar pelos stormtroopers, viu-se cercado por um monte de homens armados apontando suas pistolas para ele. Sabia se virar com uma pistola, mas enfrentar tantos oponentes ao mesmo tempo era mais uma prova de burrice do que de coragem. Se bem que... todo corajoso tem lá sua porcentagem de burrice. Caso contrário, ninguém faria certas coisas, como tentar enfrentar um monte de gente armada esperando um único movimentos eu para disparar. Ele julgava-se jovem demais para morrer assim, de maneira tão ridícula.

Levantou as mãos em sinal de rendição, deixando claro que não ia fazer nenhuma resistência. Um dos homens lhe indicou um speeder e ele subiu, tentando manter a calma.

- Tudo bem, senhores - disse, de maneira amistosa. - Podemos conversar tranquilamente, mas essas armas me deixam por demais inibido. Sabem como é, alguém pode disparar acidentalmente e aí eu não estaria em boas condições de conversar com os senhores.

Enquanto estava no speeder, Lawrence refletiu alguns segundos. O tal Jabba para quem estava sendo lembrado era o mesmo chefe da contrabandista mascarada que poderia ser sua irmã. Ele sabia que cedo ou tarde, teria que procurar melhor por ela e dar um jeito de chegar mais perto. Sendo assim, aquela captura talvez tivesse suas vantagens, já que ele seria levado diretamente para mais perto dela. No caso de suas suspeitas se concretizarem, ele conseguiria matar dois coelhos com uma única tacada. Caso não fosse tão sortudo assim... bem, o chefe poderia estar precisando de alguém discreto e esperto o suficiente para trabalhar para ele. Afinal de contas, um homem precisa pagar suas próprias contas, não é?
avatar
Akira Toriyama
Avaliador de Ficha

Mensagens : 488
Data de inscrição : 25/03/2010
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Blodtørstige Warg em Qui Dez 03, 2015 2:45 pm

O grupo abaixa suas armas e parece despreocupado, como se Lawrence fosse incapaz de fugir ou tentar algo perigoso. A única excessão era o rodiano, que apesar de não apontar a arma, mantinha o blaster em mãos e não parava de olhar fixamente para o vigarista, fazendo sinal para que ele entrasse no speeder. A viagem não demorou muito. Ele foi conduzido para fora do porto até uma região mais erma e afastada do planeta.

Palácio de Jabba, o Hutt - Tatooine.


Lawrence é conduzido para dentro de um palácio onde guardas gamoorreanos portando grandes machados recepcionam o grupo. Ele é conduzido por um corredor escuro, com o rodiano bem atrás dele, onde acaba dando em um salão onde muitos bebem, dançam e festejam. No centro do salão é possível ver uma grande criatura verde, muito semelhante a uma lesma gigante. Ele é Jabba, o Hutt. O grande rei do crime de Tatooine. O rodiano leva Lawrence para diante dele, que é saudado por sua voz grotesca, após ser informado pelo rodiano sobre a identidade do homem que estava a sua frente.



O intérprete ao lado dele diz em língua comum para Lawrence:

--O grande Jabba lhe dá as boas-vindas em seu grande palácio, e pergunta por que ele não deveria imediatamente fazer de você um refém para
conseguir dinheiro, em compensação pelo ataque que seu pai causou em um planeta recente, fazendo com que o grande Jabba perdesse sua melhor e mais nova contrabandista?


A palavra "perder" ecoa na mente de Lawrence, causando-lhe um choque. Sua irmã poderia estar morta? E ainda por cima ter sido morta pelo próprio pai?
avatar
Blodtørstige Warg

Mensagens : 171
Data de inscrição : 06/09/2014
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Akira Toriyama em Ter Dez 15, 2015 1:40 pm

Lawrence acompanhou os capangas como alguém inofensivo que era. Olhou em volta, sempre curioso para encontrar detalhes a respeito do palácio e sua segurança. Jabba estava muito bem guardado naquele lugar, e seria tolice tentar se infiltrar ali dentro ou simplesmente escapar dali. Principalmente quando havia uma possibilidade, ainda que ínfima, de descobrir mais sobre sua irmã e de talvez ganhar a proteção do criminoso que não caía de amores pelo Império. Era como unir o útil ao agradável.

O cortejo adentrou o palácio até uma sala onde Jabba esperava. O Hutt era uma criatura imensa e verde cuja forma lembrava uma lesma gigante e consciente. Então era ele o cérebro que coordenava o crime naquele planeta. Talvez não pudesse fazer muita coisa com as próprias mãos, mas tinha a seu serviço capangas que pareciam tudo, menos incompetentes. Lawrence fez uma nota mental de que embora influente e cercado de um exército particular, Jabba talvez não fosse lá grande coisa no mano a mano. Talvez um tiro de blaster bem colocado resolvesse o assunto com relativa facilidade. Ou uma dose letal de veneno, quem sabe...

Jabba moveu seus olhos lentamente para ele. Sua voz grotesca articulou algumas palavras numa língua incompreensível, e logo depois seu intérprete as traduziu.

Jabba, o Hutt escreveu:-- O grande Jabba lhe dá as boas-vindas em seu grande palácio, e pergunta por que ele não deveria imediatamente fazer de você um refém para conseguir dinheiro, em compensação pelo ataque que seu pai causou em um planeta recente, fazendo com que o grande Jabba perdesse sua melhor e mais nova contrabandista?

Lawrence fez uma mesura profunda para seu anfitrião. Gente poderosa e influente adorava quem os bajulasse e mostrasse certo grau de submissão. Dava-lhes a impressão de que o mundo se curvava diante de suas vontades, e o jovem passara tempo o suficiente entre gente poderosa e influente para aprender isso.

- Agradeço a hospitalidade e generosidade do grande Jabba em me receber e se mostrar disposto a dialogar com um simples viajante azarado pelo próprio sobrenome. Ora, grande Jabba, um prisioneiro nada mais é do que mais um aposento a ser ocupado, mais comida a ser consumida, mais dinheiro a ser gasto com poucas expectativas de retorno. Em suma, um investimento no mínimo fraco. Fato é que meu pai poderia cobrir quaisquer custos com um resgate bem pago. Porém, o grande Jabba certamente sabe que precisará substituir a contrabandista perdida, seja com um novo contrabandista ou com uma missão de resgate, no caso de ela estar viva. E embora eu não tenha as habilidades de um contrabandista experiente, asseguro que posso render muito mais lucro a serviço do grande Jabba do que como um simples prisioneiro.

Por mais que aparentasse tranquilidade, ele não estava de todo tranquilo. A possibilidade de Elise estar morta não lhe agradava, e ele esperava que suas palavras fossem convincentes o suficiente para que Jabba lhe aceitasse a seu serviço.

OFF:
Teste de Persuasão pra convencer o povo a me recrutar pra essa coisa toda. Gasto um ponto de Força, pra turbinar o teste. hehehehe
avatar
Akira Toriyama
Avaliador de Ficha

Mensagens : 488
Data de inscrição : 25/03/2010
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Blodtørstige Warg em Seg Dez 21, 2015 5:00 pm

Testes:
Lawrence faz um teste de persuasão, CD 25, para convencer Jabba a contratá-lo, e tira:

29 (SUCESSO)

Jabba soltou uma risada lenta e prolongada, o que gerou certo conforto e tensão no contrabandista, por mais que ele tentasse parecer amigável e despreocupado diante do Hutt. Ele por fim falou mais algumas palavras em sua grotesca, que foi prontamente traduzida pelo mesmo sujeito.

-- O grande Jabba afirma que gosta do seu jeito. Ele está disposto a lhe dar uma oportunidade. O seu objetivo é ir até o planeta onde a contrabandista desapareceu e descobrir o que houve com ela. Se for bem sucedido em resgatá-la ou voltar com informação, o Jabba terá prazer em contratá-lo. No entanto, se falhar ou tentar enganar o grande Jabba, ele prontamente despachará Boba Fett para caçá-lo e eliminá-lo

Jabba então chamou um homem com uma roupa típica de piloto e lhe disse algo em forma de sussurro. Ele apenas vai acenando com a cabeça para cada grunhindo que o Hutt dizia. O mesmo homem então se aproxima de Lawrence, com um sorriso simpático no rosto.  



-- Saudações! Eu sou Garahn. Eu serei o seu piloto. Por favor, siga-me.

O sujeito parecia amigável demais para ser um capanga de um lorde do crime, mas esse Garahn era assim de fato.

Lawrence foi conduzido por ele até um dos hangares do palácio, onde lá havia uma grande e elegante nave.



-- O nome dela é Night Slasher. Bacana, não é? Vamos embarcando, senhor.

A nave era bem grande e espaçosa. Era também confortável e bem equipada.

-- Nós vamos para Akiva. É um planeta que não é muito longe daqui. Faz parte da Orla Exterior. Ele teoricamente um planeta imperial, mas força imperial lá é tão fraca e a floresta tão grande que há muitas bases clandestinas que o império sequer conhece. Estaremos lá em breve.

A viagem foi breve, como Garahn afirmou. Ele aterrizou em uma área bem afastada, no meio de uma grande floresta. Suas últimas palavras antes de partir foram:

-- Bem, aqui estamos. Eu gostaria de poder fazer mais por você, mas Jabba me proibiu de dar a você qualquer ajuda. Eu devo voltar daqui a três dias para ver como você se saiu. Bem, então é isso. Boa sorte, senhor.

Ele retornou para a nave. Lawrence observou a Night Slasher levantar voo e desaparecer no espaço, antes de encarar a densa mata que estava a sua frente. Ele agora estava por conta própria, em um terreno desconhecido em um planeta desconhecido. Estava calor, muito calor, e ele não sabia o que podia esperar ali.

Off: -1 de Força.
avatar
Blodtørstige Warg

Mensagens : 171
Data de inscrição : 06/09/2014
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Akira Toriyama em Sab Jan 02, 2016 12:49 pm

Lawrence fez uma nova mesura, sem se preocupar em ser visto como um bajulador. Poderosos gostam de bajuladores, e Jabba não era diferente. Tentou ignorar o prenúncio de ameaça no caso de falha e se concentrou em sua nova tarefa.

- O Grande Jabba não se arrependerá

Um homem com roupas de piloto se aproximou dele, depois de trocar algumas palavras com o chefe. Após se apresentar, Graham o levou até uma nave esguia e rápida enquanto falava dela com o orgulho de quem adora seu trabalho. Enquanto ouvia, o jovem percebeu quantas pessoas estavam a serviço daquele criminoso. Talvez, com algumas jogadas mais ousadas, o Hutt conseguisse firmar seu próprio reino naquele planeta. Se é que já não tinha feito isso.

A viagem começou. Lawrence dispôs seus equipamentos numa mesinha e se acomodou enquanto checava o estado de sua pistola. Preferia não usa-la, mas precisava estar preparado para tudo. Nessas horas, pensava se não teria sido melhor se tivesse dado mais atenção ao desejo do pai de manda-lo para alguma academia militar do Império. Embora a deserção fosse muito mais difícil de lidar do que a fachada de uma viagem juvenil, ao menos serviria para lhe dar melhores habilidades de combate.

Despertou do devaneio quando a nave começou a se movimentar em direção ao planeta. Precisava de mais informações da contrabandista, e seria muito bom passar um tempo com alguém que poderia lhe dizer uma coisa ou outra. Decidiu agir logo.

- Graham, me fale mais sobre a contrabandista perdida. Ela deve ser muito boa pra ser perseguia desse jeito, não?

Enquanto a viagem corria, o jovem conversou com o piloto. Gostava de conversar e socializar, além de ser ótimo para conseguir informações e para fazer amizades dentro de seu novo trabalho. Servia para lhe distrair da tarefa que estava para começar.

Quando chegaram ao planeta, ele se despediu de Graham e encarou a floresta que se estendia à sua frente. O calor infestava todos os cantos e o fez pensar em um lugar mais fresco. Dali a três dias, o piloto iria voltar para ver como ele se saíra. E ele precisava de respostas o mais rápido possível. Procurou a primeira cantina que havia ali e se preparou para mais um suborno. Iria começar tudo de novo.
avatar
Akira Toriyama
Avaliador de Ficha

Mensagens : 488
Data de inscrição : 25/03/2010
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Blodtørstige Warg em Seg Jan 11, 2016 5:26 am

— Graham, me fale mais sobre a contrabandista perdida. Ela deve ser muito boa pra ser perseguia desse jeito, não?

— Bem, para ser honesto não há muito o que falar. Somente o próprio Jabba a viu sem a máscara. Ela responde por um codinome desde o dia que em apareceu; e desde o dia em que apareceu, sempre demonstrou odiar o império mais do que tudo. A propósito, o codinome Elorwe. Ninguém sabe que diabos isso significa.

Teste de Percepção (Lawrence):
CD 18, Resultado: 14 (Falha)


O piloto era um sujeito simpático e parecia inteligente. Era difícil de acreditar que trabalhava para um gangster. Lawrence ainda assimilava as últimas informações quando Graham voltou a falar.

—  Há um rumor sobre ela... Alguns dizem que ela fez amizade com um cavaleiro jedi, acredita?

---------------------------------------------------

A mata era densa. Lawrence começou a pensar que Jabba tinha enviado ele para aquele lugar unicamente para morrer. Já fazia duas horas que ele caminhava em linha reta e não encontrava nada além da vida selvagem daquele lugar. Ele estava começando a perder as esperanças quando pode visualizar uma construção bem longe. Ele não sabia se era uma base imperial ou uma clandestina, então ele tinha que tomar cuidado. De um alto de um pico, ele pôde ver que havia uma fumaça negra saindo do topo do que parecia ser uma torre de comunicação.

Teste de Percepção (Lawrence):
CD 25, Resultado: 9 (Falha)


Caminhando desesperadamente na direção da base, tendo como combustível a esperança de encontrar sua irmã,  Lawrence acaba sendo descuidado. Ele pisa em um grande galho que se espatifa e enroscas em suas pernas, fazendo-o tropeçar e rolar um barranco. Ele acaba por cair em um pequeno lago, fazendo um grande barulho.

[color=red] — Que foi isso?![/ color]

Uma voz abafada sugere o uso de um capacete. Stormtroopers? Não há certeza, mas quem quer que seja, a quantidade de ruídos de passos mostra que não se trata apenas de uma pessoa, e logo toparão com Lawrence caso ele não faça nada.
avatar
Blodtørstige Warg

Mensagens : 171
Data de inscrição : 06/09/2014
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Wars - Ecos da Antiga Era

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum